------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Blues: Robben Ford
Vinnie DeMasi
Se você é daqueles que acredita que não há melhor professor do que a experiência, então o virtuose do blues Robben Ford absorveu uma profunda dose de conhecimento sobre improvisação. Ainda adolescente, nos anos 1960, o californiano (que originalmente tocava saxofone e jazz) já tocava com Charlie Musselwhite, mestre da gaita do blues de Chicago.

Depois, caiu na estrada acompanhando a lenda do R&B Jimmy Witherspoon. Em pouco tempo, Ford foi convidado para fazer parte do lendário L.A. Express, vivenciando o que ele se descreve como os dois anos mais importantes em sua formação musical, atuando como sideman de Joni Mitchell na estrada e no estúdio, antes de se juntar a George Harrison em sua turnê do álbum Dark Horse. Uma proposta da gravadora Elektra levou Ford ao quinteto de jazz fusion Yellowjackets, seguido de um trabalho com Miles Davis.

Depois de deixar a banda de Davis com um convite aberto para retornar quando quisesse, Ford encontrou o foco de sua carreira-solo quando adicionou sua refinada formação de jazz às suas raízes de blues. Seu álbum-solo Talk to Your Daughter foi um divisor de águas, recebendo uma nomeação ao Grammy por Melhor Álbum de Blues Contemporâneo.

O sucesso do disco permitiu a Ford realizar uma turnê mundial sob seu próprio nome e o estabeleceu como um dos poucos guitarristas que conseguia agradar tanto aos amantes do jazz como aos puristas do blues e aos roqueiros, graças a sua combinação mágica de sofisticação harmônica e feeling ardente.

Você parece não mudar muito seu equipamento. Incluiu algo novo para a gravação de Soul on Ten?

Na verdade, não. Continuo usando meus amplificadores Dumble Overdrive Special. Para os efeitos, tenho um wah Vox e um delay TC Electronic 2290. Como os amplificadores Dumble não possuem reverb, pego uma linha com sinal seco do 2290 e jogo no segundo canal de um Fender Super Reverb, para preencher um pouco o som.

Além disso, se estou em uma situação em que tenho de plugar em um amplificador diferente do Dumble, uso um boost Hermida Audio Technology Zendrive. De guitarras, continuo usando minha Fender Telecaster 1960 por cerca de metade da noite, minha Sakashta Noupal e uma Gibson Les Paul 1957 que peguei emprestada de Larry Carlton
há muito tempo.

Veja a matéria completa na Guitar Player nº 170

Matéria completa na Revista Guitar Player 170/Junho de 2010.
Para adquirir seu exemplar clique aqui.

[VOLTAR]
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
LEIA TAMBÉM
Rafael Raposo - Vivendo de Guitarra na Espanha (11/09/2017)
 Uma coisa bacana das redes sociais é poder descobrir instrumentistas de diversos lugares que não recebem o ... VEJA MAIS
Mika Jaxx - Vida Longa ao Hard Rock (11/09/2017)
 Quem frequentava o já saudoso Inferno Club e frequenta o Manifesto já deve ter visto Mika Jaxx em ... VEJA MAIS
Evento - Semana SL Rock, no Souza Lima (11/09/2017)
 De 11 a 15 de julho, a Faculdade e Conservatório Souza Lima, em São Paulo (SP), realizou a III Semana SL ... VEJA MAIS
Willian Lee (1970 - 2017) (11/09/2017)
As ruas do centro da cidade de São Paulo ficaram tristes sem a guitarra de Willian Lee, que costumava se apresentar com ... VEJA MAIS
Licks Rápidos | 5 Perguntas Para Flávio Barba (11/09/2017)
 Professor de guitarra, violão, harmonia e improvisação do Conservatório Musical Vila ... VEJA MAIS
Licks Rápidos | JEYSON ZÍMERER – BOTUCATU (SP) (11/09/2017)
 Meu nome é Jeyson Zímerer, sou paulistano, mas resido em Botucatu. Comecei a tocar guitarra aos 15 anos, ... VEJA MAIS
 
 



Frases x Acordes


Assinaturas | Contato | RSS | Guitar Player U.S |
© Copyright . 1996 . 2010 | GUITARPLAYER.COM.BR - MELODY EDITORA | Todos os direitos reservados | Site desenvolvivo por Gustavo Sazes | Abstrata.net