------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
40 RIFFS DE HEAVY METAL
David Hepner
 Dia desses, eu estava pensando comigo mesmo. Dá para fazer rock and roll sem guitarra? Até que dá, se levarmos em conta nomes como Jerry Lee Lewis e Little Richard, por exemplo. E blues? Também dá, afinal, inúmeras composições de blues já foram tocadas com formações sem guitarra. E country? A resposta é a mesma, ainda mais se houver um banjo no grupo. Jazz? Já existia antes do surgimento da guitarra elétrica. E heavy metal? Não, não dá. A guitarra está intimamente ligada a essa vertente pesada do rock e talvez não haja estilo tão conectado a esse instrumento. É claro que existem outros gêneros que dependem da guitarra e geraram grandes artistas, mas o heavy metal levou o instrumento a um novo patamar de idolatria, paixão e estética. E quem nunca ficou em transe ao ouvir um riff de guitarra? No metal, esse pequeno trecho da composição foi – e será! – responsável por despertar em milhares de garotos o sonho de se tornar guitarrista e tocar para multidões. Pela relevância que o heavy metal tem para a história do nosso amado instrumento, tivemos a ideia de publicar uma lição especial que conta, por meio de seus riffs pesados e hipnóticos, a evolução do gênero. A tarefa de elaborar a matéria coube a nosso colaborador Alexandre Spiga, que se saiu muito bem na empreitada. Ele selecionou 40 riffs que, juntos, formam uma viagem que se inicia em 1967 e vai até os anos 2000, abrangendo vários subgêneros, desde o protometal de Jimi Hendrix e Cream até o djent do Meshuggah e o metalcore do Avenged Sevenfold, passando pelo glam metal, thrash, hard rock, entre outras vertentes. Para completar, Spiga pesquisou e descobriu quais equipamentos foram utilizados nessas gravações históricas. Como diria o Massacration: metal is the law! - A seção de testes traz um guia com os lançamentos da Expomusic e uma avaliação do amplificador Carol-Ann Triptik 2. Publicamos ainda uma entrevista com Alan Phillips, projetista de amps e fundador da Carol-Ann. Não deixe de ler também a 12ª aula do curso de harmonia do mestre Mozart Mozart e as colunas com áudio no site de Guitar Player, que, este mês, ensinam a tocar frases de Steve Morse, Jimmie Vaughan e Adam Rogers, além de estilos como western swing, gypsy jazz e bossa nova. Na transcrição completa, aprenda as partes de guitarra de Jake E. Lee em Bark at the Moon, de Ozzy Osbourne. Boa leitura!
Matéria completa na Revista Guitar Player 247/Novembro de 2016.
Para adquirir seu exemplar clique aqui.

[VOLTAR]
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
LEIA TAMBÉM
Qualidade de Pensamento (11/09/2017)
Uma das coisas legais em Steve Vai é que, além das músicas incríveis que compõe, ele sempre ... VEJA MAIS
FRASES E ACORDES (14/06/2017)
Uma das coisas mais legais relacionadas à guitarra é a criação de frases. Como muito bem salienta ... VEJA MAIS
1967: O Ano da Revolução Musical (05/04/2017)
 Há exatamente 50 anos, o mundo da música vivia um de seus maiores momentos. O ano de 1967 foi marcado por ... VEJA MAIS
A ARTE DOS BENDS (17/02/2017)
 O bend é uma das técnicas mais características da guitarra elétrica. Grandes astros são ... VEJA MAIS
MELHORES DO ANO! (02/01/2017)
 Vamos confessar. Nós, guitarristas, somos loucos por equipamentos. Gostamos de comprar uma guitarra nova, um ... VEJA MAIS
40 RIFFS DE HEAVY METAL (17/11/2016)
 Dia desses, eu estava pensando comigo mesmo. Dá para fazer rock and roll sem guitarra? Até que dá, se ... VEJA MAIS
 
 



Frases x Acordes


Assinaturas | Contato | RSS | Guitar Player U.S |
© Copyright . 1996 . 2010 | GUITARPLAYER.COM.BR - MELODY EDITORA | Todos os direitos reservados | Site desenvolvivo por Gustavo Sazes | Abstrata.net